sábado, 5 de abril de 2014

34 ♥



Se me perguntares o que gosto em ti, eu não sei o que responder. Posso até arriscar dizer alguma coisa, elogiando o teu sorriso ou dizendo o quanto eu gosto dessa tua maneira de ser implicante. Mas ainda seria pouco. É pouco. Eu posso continuar a arriscar, dizendo que foram as tuas mensagens de boa noite. Ou que foram as demonstrações de carinho e cuidado que tu me deste, mesmo quando eu fui egoísta ao ponto de nem reparar. Posso também dizer que foram as noites que passámos a conversar, umas vezes sobre coisas importantes, outras nem tanto. Posso dizer que foram os teus elogios. Posso dizer ainda que foi a tua atenção e paciência. Mas nada disso seria suficiente, saberia sempre a pouco. Sabes... Nada disto é suficiente. Tenho um emaranhado de coisas para te dizer alojado na minha garganta mas não sei se terias paciência para desembaraçar os fios frágeis das perturbações da minha consciência.

Sem comentários: