quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

31 ♥


Será que é normal eu não conseguir parar de pensar em ti? É normal em cada música que eu oiço, haver algo que me lembra de ti? É normal em cada palavra que eu leio, haver uma recordação tua? É normal eu sorrir cada vez que a tua imagem me vem à cabeça? É normal esta vontade de te abraçar com a maior força do mundo? É normal a forma tão repentina com que eu estou a ficar presa a ti? É normal a forma como todas as dúvidas e inseguranças estão de mãos dadas com todas as certezas e realidades? É normal este medo gigante e assustador de te perder? Em tudo o que falo, sinto ou penso, há vestígios teus. És tu que me fazes acordar em cada manhã com a determinação de que a vida não corre em vão. Mas ainda é tudo tão recente, tão novo, tão frágil. É disso que tenho medo, que o tempo venha a destruir tudo aquilo que temos criado. Mas destruir como? Aliás, destruir o quê? Os medos fazem parte e é por isso que estás a meu lado, para mos acalmar. Será isso? Será essa a resposta que tenho procurado? A forma perfeita como tu completas as minhas falhas, como preenches cada espaço que eu deixo em branco, como tu me fazes crescer? É essa a maior e mais completa definição de cumplicidade. É isso? Será isso? A verdade é que tenho receio que tudo isto não passe de uma ilusão e o tempo me venha a mostrar isso mesmo, mas não há como saber e, repito, que só quero ser a estabilidade de que sinto que tu tanto precisas.

Sem comentários: